Vários

Angélica

Angélica


Características

A angélica é uma planta herbácea perene ou bienal que pode atingir até dois metros de altura e é notoriamente difundida no continente europeu, principalmente na parte nordeste.

Na Itália, porém, não cresce espontaneamente, mas apenas em algumas áreas ensolaradas e frescas, mas também muito protegida do vento em vários vales dos Alpes e dos Apeninos, até uma altitude de 3.000 metros.

A angélica pertence à família Apiacea e se originou principalmente na parte norte do velho continente.

Precisamente na Europa esta planta é cultivada e utilizada para fins medicinais, especialmente nas espécies archangelica, mas mais de trinta espécies diferentes podem ser encontradas em todo o continente, sempre pertencentes à angelica.

É uma planta herbácea que apresenta uma postura ereta, com folhas serrilhadas, bastante largas e com uma cor verde típica, que se expressa num tom mais claro na parte inferior.

As flores de angélica se desenvolvem entre junho e agosto e, por outro lado, apresentam coloração amarelo-esverdeada, enquanto os frutos são aquênios acastanhados que podem contar com duas sementes.

A espécie mais difundida é certamente a angelica archangelica (também chamada de Angelica officinalis) que não deve ser confundida com a Angelica silvestris, bastante comum na península italiana, mas que se diferencia por um perfume intenso, menor tamanho e cor. , que se torna rosa-branco.


Cultivo

A angélica desenvolve-se de forma excelente em todas as zonas de clima fresco e bastante húmido, com solos bastante profundos e boa drenagem, extremamente ricos em substâncias orgânicas.

Esta planta em particular tolera solos com ph entre 4,5 e 7, bem como pode suportar temperaturas muito baixas e estações de inverno bastante rigorosas.

A angélica deve ser cultivada em solos particularmente férteis, que devem passar por considerável adubo e fertilização completa, naturalmente no início de cada reinício vegetativo.

A angélica propaga-se por semente: tendo em conta que a angélica consegue atingir alturas bastante importantes, é melhor cultivá-la em terreno aberto.

Além disso, é recomendável ter muito cuidado ao manusear a angélica, pois seus sucos são particularmente irritantes para a pele.


Curiosidade

A planta Angélica era muito usada para diferentes tratamentos na Idade Média e, por isso, era frequentemente mencionada nos herbários, enquanto na Renascença era conhecida como a Grama dos Arcanjos, a Grama dos Anjos ou a Grama dos Espírito Santo.

De fato, nos livros didáticos podemos freqüentemente encontrar a afirmação de que o nome da planta se originou de seus milagrosos poderes de cura no nível físico, especialmente durante as epidemias e pragas que atingiram o velho continente.


Ingredientes ativos e propriedades

As partes mais exploradas da planta são as raízes, enquanto os frutos e a parte aérea são usados ​​com menos frequência.

Em qualquer caso, dentro das raízes podemos encontrar óleo essencial, furanocumarinas, cumarinas, ácidos cafeico e clorogênicos, sitosterol, ácidos graxos, taninos; nas frutas, por outro lado, encontramos óleos essenciais, cumarinas e furocumarinas.

As principais propriedades benéficas da planta angélica estão relacionadas à sua atividade antiespasmódica, carminativa, antidispéptica e tônica.

O uso terapêutico da angélica ocorre principalmente para o tratamento de distúrbios como dispepsia, anorexia, distúrbios psicossomáticos e dismenorreia.

Além disso, também tem uma ação antiespasmolítica, de modo que a angélica também pode ser usada no tratamento de insônia nervosa e gastralgia.

Em qualquer caso, deve ser um excelente antiespasmódico que lhe permita exercer uma atividade benéfica sobre o elemento nervoso quando é a causa da enfermidade de que sofre; as furanocumarinas causam fototoxicidade da planta, por isso é melhor evitar a exposição prolongada ao sol durante o seu uso.

Já a angelicina é anticonvulsivante e sedativa, enquanto o extrato alcoólico da planta possui propriedades antibacterianas e antifúngicas, principalmente contra Candida albicans.

O uso externo, com banhos ou linimentos, é recomendado para o tratamento de dores reumáticas, devido à presença de polieninas, com fortes propriedades analgésicas.


Angelica: óleo essencial

O óleo essencial de angélica é composto por pineno, feliandreno, limoneno e cumarinas, que lhe permitem exercer uma ação estimulante sobre o sistema circulatório e imunológico, garantindo também uma boa prevenção contra infecções e uma atividade calmante contra cólicas, dores intestinais, distensão abdominal e cólica.

Um banho completo integrado com óleo essencial de angélica permite estimular a transpiração, enquanto contra resfriados acalma as inflamações respiratórias e dissolve o catarro; contra a insônia, com uma gota de essência no travesseiro ajuda as crianças a adormecerem com mais facilidade, mas também é muito útil no combate a dores de cabeça e enjôos de viagem.


Vídeo: Angelica Hales Journey To Super Star Americas Got Talent 2017