Interessante

Bufo bufo - sapo

Bufo bufo - sapo


SAPO
(Bufo Bufo)

CLASSIFICAÇÃO CIENTÍFICA

Reino

:

Animalia

Filo

:

Chordata

Subfilo

:

Vertebrata

Aula

:

Anfíbios

Pedido

:

Anura

Família

:

Bufonidae

Gentil

:

Bufo

Espécies

:

Bufo Bufo

Nome comum

: sapo comum

HABITAT E DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA

O sapo comum, nome científico Bufo Bufo, pertence aos Família Bufonidae e é encontrada na Europa até o Cazaquistão e leste da Sibéria, no noroeste da África (Marrocos, Argélia, Tunísia) e no Oriente Médio e precisamente na Turquia, Síria e Líbano. Apenas em algumas ilhas como a Irlanda, Baleares, Córsega, Sardenha, Malta, Creta está ausente (embora esteja presente na Sicília).

Na prática o Bufo Bufo junto com Bufo viridis é o maior representante da família Bufonidae e é um sapo muito comum na Itália.

O sapo é um animal que prefere florestas de coníferas e de folhas largas e bosques com áreas pantanosas ou muito úmidas e vegetação densa onde adora se abrigar. Não é encontrado em espaços abertos e está presente em altitudes que variam do nível do mar até cerca de 2.000 m s.l.m. (os espécimes foram encontrados mesmo a 3000 m).

CARÁTER, COMPORTAMENTO E VIDA SOCIAL

O sapo é um animal eminentemente noturno e tende a fugir da luz.

Quando se sente ameaçado, assume uma posição característica: arqueia as costas e se infla de ar para parecer maior e ameaçador. Além disso, da cloaca pode lançar um jato de urina nos olhos do agressor, o que é muito irritante.

CARACTERÍSTICAS FÍSICAS

O sapo comum é o maior anfíbio presente na Europa: foram encontrados exemplares de 20 cm de comprimento (excluindo as pernas). Geralmente, o macho é menor que a fêmea e não ultrapassa os 10 cm de comprimento (calculado da ponta mais proeminente do focinho até a parte posterior mais externa).

A parte dorsal do corpo é marrom-avermelhada tendendo a verde com uma barriga geralmente clara.

A pele é coriácea e coberta por numerosos tubérculos arredondados, ricos numa determinada substância, o búfalo, que é venenoso se ingerido ou injetado. A pele também está sujeita a alterações de cor durante a estação reprodutiva tendendo mais para o acinzentado-amarelado.

O sapo tem as pupilas dispostas horizontalmente, de forma elíptica, com uma íris dourada e acobreada.

HÁBITOS ALIMENTARES

Alimenta-se principalmente de terra e não de água e sua dieta típica é de invertebrados (insetos, caracóis, etc.).

REPRODUÇÃO E CRESCIMENTO DOS PEQUENOS

O período reprodutivo do sapo depende da temperatura: nas zonas de clima mais quente, ele tende a se reproduzir entre fevereiro e março, enquanto nas zonas de clima mais frio em junho.

Um hábito do sapo comum é que ele tende a retornar ao local onde nasceu para se reproduzir, mesmo que isso implique viajar muitos quilômetros. Na verdade, durante a época de reprodução, é comum ver longas filas com dezenas e até centenas de sapos migrando para os criadouros.

É fácil encontrar vários machos tentando acasalar com a mesma fêmea formando grandes aglomerados (vídeo acima).

Durante o acasalamento, o sapo macho se posiciona nas costas da fêmea e a segura fortemente contra si, graças a alguns calos que se desenvolvem em seu polegar. Não há cópula porque a fecundação é externa: a fêmea libera os óvulos de fora que são fecundados pelo espermatozóide que é liberado, sempre do lado de fora, pelo macho. Depois de fertilizados, depositam-se em lagos, lagoas, fossos, poças e riachos, sempre sempre onde as águas são límpidas e calmas e em câmara lenta. Em geral, sapos fêmeas colocam seus ovos dentro de cordões mucilaginosos de 2 cm de largura e 4 a 5 metros de comprimento, dispostos paralelos entre si, que contêm até 7.000 ovos pretos que aderem à vegetação.

Os ovos eclodem após cerca de 2-3 semanas, e as larvas são escuras, de cor cinza-preta (vídeo acima). Após cerca de 2,5 - 3 meses as larvas, agora com o aspecto de adultos, finalmente saem da água para começar a vida no continente (têm um tamanho de cerca de 2 cm).

ESTADO DA POPULAÇÃO

O sapo comum, mesmo que esteja incluído na lista vermelha da IUNC entre os animais com baixo risco de extinção MENOS PREOCUPAÇÃO (LC) como sua população é considerada estável, é internacionalmente uma espécie protegida e foi incluída no Anexo III da Convenção de Berna (assinada em 19 de novembro de 1979) que protege a conservação da vida das espécies selvagens e do ambiente natural na Europa, bem como sendo protegido por inúmeras leis nacionais e regionais de vários estados.

Tudo isso foi ditado pelo fato de que a destruição de florestas e a recuperação de áreas úmidas representam uma grande ameaça para a população de sapos. Se isto está associado à poluição química, urbanização, agricultura e desertificação e ao facto de tenderem a regressar ao local onde nasceram para se reproduzir, é compreensível que haja grande preocupação com a sobrevivência desta espécie. De fato, hoje é comum ver as estradas e rodovias, durante o período reprodutivo, atravessadas por longas filas desses animais que tentam retornar aos seus locais de origem e que são esmagados por máquinas e também devido à antropização, seus locais. de reprodução desaparecem gradualmente.


Vídeo: Sapo gigante Bufo spinosus. Ya es un príncipe. GONZALO.